sexta-feira, fevereiro 24, 2012

O post da Rita e um bocado de mim...

Li o post da Rita três vezes...

Já moro sozinha à uma ano e meio. Tudo porque a minha mãe foi trabalhar para fora a convite da empresa onde está e eu decidi que em vez de ir com ela ficava a morar na nossa casa.
Ao principio foi tudo uma grande animação, entro e saio de casa sem dar satisfações a ninguém (e a minha mãe nunca me controlou as saídas), se me apetece fazer comer faço senão como uma tosta, tenho sempre amigas a dormirem cá em casa, dei uma chave de casa ao meu namorado e ele entra e sai também quando quer.
Tenho que dizer que tomei esta decisão porque o meu emprego me permite ter a minha independência e apesar de ter uma conta em conjunto com a minha mãe, para o caso de surgir  alguma emergência, até hoje nunca precisei de lhe mexer.
Tenho a pequena virtude de ser bastante organizada (sem exageros garanto) e portanto desde que comecei a viver sozinha estabeleci que quando chegam as cartas das despesas mensais (renda, agua, luz, gás, Zon e seguros), estas têm que ser logo pagas. Depois são feitas as compras para casa e carrego o telemóvel. Escusado será dizer que depois de receber o ordenado, quando volto a ver o meu saldo tenho lá menos um terço e por vezes mais.
É aqui que o deslumbramento de viver sozinha se apaga um pouco, porque quando vivemos com os pais, quando queremos comprar uns sapatos compramos, se queremos muito as calças que vimos na loja X pedimos à mãe e compramos, sem ficar no pensamento que se comprar estas calças agora, a meio do mês se surgir qualquer coisa de repente não tenho esse dinheiro.
Felizmente ainda não sou daquelas pessoas que têm que contar tostões e que se pagam a renda não pagam a luz e coisas desse género. Mas também tive que aprender a ser mais controlada, a deixar de comprar uns ténis por mês e começar a pensar nas compras que estava a fazer. Se todas as semanas quero ir ao cinema, sei que não posso comprar tudo o que me apetece nas lojas...

Respondendo um bocado ao post da Rita, não sou ninguém para te aconselhar do que deves fazer, apenas que deves pensar muito bem nesse passo que queres dar.
Acho que todos os jovens a partir dos 22/23 anos deviam começar a viver sozinhos, para aprenderem a gerir e a organizar a sua vida, porque sabe bem a toda a gente chegar a casa e ter o jantar feito pela mamã, ou não ter que passar a roupa a ferro ou deixar a máquina a lavar porque é a mãe que se preocupa com isso, mas são esses jovens que mais tarde (salvo raras excepções) que quando vão viver sozinhos, não sabem cozinhar, por as máquinas a trabalhar, estender e passar roupa, etc...
É óbvio que morar sozinha não tem só contras e revendo o meu discurso até aqui é o que parece, mas o caso de um não é o caso de todos e o que se passou comigo não é o que se passa com muita gente que conheço ou oiço falar.
Nunca estou sozinha, porque se não está cá o meu namorado, estão as minhas amigas ou primas. Faço jantares regularmente cá em casa e é uma animação pegada até às tantas. Durmo até ao meio dia sem ouvir ninguém cá em casa. Chego e ninguém me pergunta onde estive. Saio com a cabeça molhada de casa. A minha gata dorme na minha cama e não está cá a minha mãe para refilar. Tudo tem prós e contras.

Eu gosto muito da minha mãe e podia ter decidido ter ido com ela na altura para fora do país e continuar a ter a minha vida de princesa. Mas foi graças às palavras que ela me deu na altura, que me fizeram tomar a minha decisão e até hoje não estou arrependida. Ela nunca tomou o partido de eu ir com ela por sentimentalismo, nem de ficar para aprender à minha custa. Aconselhou-me, fez o papel dela como mãe e eu agradeço-lhe por isso. Apesar de me ligar todos os dias e dizer que tem a certeza que ando a comer mal, mas pronto.

Fica desde já o meu apoio à Rita, que ela se dê muito bem na decisão que quer tomar na vida dela e que ganhes coragem para falares com a tua mãe, mais que não seja para ouvires a opinião dela acerca do assunto.

5 comentários:

Rita disse...

Em primeiro lugar quero agradecer os "conselhos" e por teres partilhado a tua vivência.
É assim que não quero cortar já o mal pela raiz, ainda me faltam 5 meses de mestrado.. mas quero começar já a preparar as coisas.. para depois ser mais fácil quer para mim quer para ela.
Felizmente a educação que ela me deu, sempre foi aprender a fazer tudo, portanto, eu embora esteja em casa, cozinho, arrumo, passo a ferro, lavo máquinas, tudo tudo, e agradeço por isso, porque assim é mais em algo que estou preparada.
Sei que não vai ser um mar de rosas, mas também sei que já está na altura, porque sinto isso... E então mais uma vez te digo.. tudo com tempo.. e ele está a chegar!

Obrigada!!!

Pequeniña disse...

Eu vivi sozinha durante 1 ano, enquanto estive a trabalhar no estrangeiro, e voltar a casa dos pais foi muito estranho. Mas infelizmente não tenho capacidade económica para viver sozinha, neste momento. Caso contrário, era certamente o que faria. A independência sabe mesmo bem :)

Rita disse...

Conto sim ;) e tomei uma decisão.. em vez de falar logo tudo de uma vez, visto que ainda não é para amanhã, vou falar aos poucos.. ir introduzindo o assunto :)

Marta disse...

é bom vivermos soznhas, eu ainda não moro, mas gostava muito. para poder ter a minha independência e crescer claro!
beijinhos

- Fashion Fi - disse...

Também gostava de viver sozinha mas sei que ainda não estou preparada economicamente :$

Fi *